Reabilitação Estética em Dentes Escurecidos e Desvitalizados

Autores: Ana Regina Cervantes Dias Mestre e Doutoranda em Dentística – UERJ Professora do Curso de Especialização em Dentística – PUC-RJ Raphael Monte Alto Doutor em Dentística – UERJ Professor Adjunto da Disciplina de Clínica Integrada – UFF Professor do curso de especialização em Implantodontia – UFF Katia Regina Hostilio Cervantes Dias Mestre e Doutora em Clínica Odontológica- USP Professora Titular da Disciplina de Dentística – UERJ Professora Associada da Disciplina de Dentística – UFRJ

 

INTRODUÇÃO

A busca por uma estética dental mais apurada faz com que o cirurgião-dentista procure técnicas restauradoras cada vez mais eficientes e menos invasivas. Dentre os diversos problemas estéticos encontrados, podemos destacar a alteração cromática de um ou mais dentes.

O escurecimento dental em dentes anteriores que sofreram trauma e/ou tratamento endodôntico é uma das causas mais frequentes de escurecimento de dentes isolados. Nesses casos, a recuperação estética pode-se dar por meio de clareamento e/ou restaurações diretas ou indiretas.

O clareamento dentário, em especial o clareamento interno, oferece uma oportunidade de recuperação estética de forma mais econômica e mais conservadora, se comparado com alternativas mais invasivas como as coroas totais, facetas diretas e indiretas.

Como pré-requisito, o conduto deve estar hermeticamente selado, sem lesões periapicais, com total remoção da dentina cariada e o elemento dental em questão não deve apresentar restaurações extensas.

O artigo tem por objetivo apresentar um caso clínico de clareamento de um dente não-vital associando técnicas internas, externas imediatas e mediatas.

RELATO DE CASO

Paciente BB, de 28 anos de idade, apresentou-se no projeto de clareamento dental na faculdade de odontologia da UERJ insatisfeita com seu sorriso devido ao severo escurecimento coronário do elemento 21.

Aspecto inicial do sorriso
Aspecto inicial do sorriso

O elemento em questão apresentava tratamento endodôntico realizado há 2 anos. Após exame clínico e radiográfico, o tratamento proposto foi de clareamento interno, associado ao clareamento externo, e retenção intrarradicular com pino de fibra de vidro.

Exame radiográfico evidenciando normalidade periapical e adequado selamento do conduto
Exame radiográfico evidenciando normalidade periapical e adequado selamento do conduto

A paciente foi esclarecida de que o clareamento é uma técnica não invasiva, porém limitada e sem muita previsibilidade. Depois do esclarecimento das dúvidas, a paciente aceitou o tratamento proposto.

Para realização do clareamento interno procedeu-se isolamento do campo operatório, abertura da câmara pulpar, remoção da guta percha 3 mm além da altura da coroa clínica e foi realizado o selamento biológico preenchendo a câmara pulpar com pasta de hidróxido de cálcio. Após o selamento provisório da cavidade, a paciente foi liberada.

Após uma semana, foi realizado isolamento do campo operatório, remoção do selamento provisório, remoção do selamento biológico e confecção de selamento mecânico via um tampão de 2 mm com cimento de fosfato de zinco. Após a presa inicial do cimento, que ocorre em 5 minutos, foi aplicado o gel clareador à base de Peróxido de Hidrogênio a 35% (Whiteness HP Maxx/FGM) no interior da câmara pulpar e na face vestibular do elemento escurecido. Após 15 minutos, o gel foi removido e trocado por mais duas vezes, totalizando 3 aplicações na mesma consulta.

Gel clareador à base de Peróxido de Hidrogênio a 35% (Whiteness HP Maxx FGM) utilizado para clareamento imediato
Gel clareador à base de Peróxido de Hidrogênio a 35% (Whiteness HP Maxx FGM) utilizado para clareamento imediato
Elemento sendo clareado pela face vestibular
Elemento sendo clareado pela face vestibular
Elemento sendo clareado pela câmara pulpar
Elemento sendo clareado pela câmara pulpar

Após o clareamento imediato foi realizado o clareamento mediato através da aplicação de pasta à base de perborato de sódio e peróxido de hidrogênio 20% (Whiteness Perborato/FGM) dentro da câmara pulpar. O elemento foi selado provisoriamente com uma “bolinha” de algodão e resina composta.

Clareador à base de Perborato de sódio (Whiteness Perborato FGM) utilizado para clareamento mediato
Clareador à base de Perborato de sódio (Whiteness Perborato FGM) utilizado para clareamento mediato

Este esquema foi semanalmente seguido por 6 semanas.

Após este período, observou-se satisfação no grau de clareamento. Foi então realizada neutralização do meio com pasta de hidróxido de cálcio.

Após 15 dias, a pasta de hidróxido de cálcio foi removida da câmara pulpar, assim como o tampão de cimento de fosfato de zinco, e o conduto foi parcialmente desobstruído para ser restaurado com um pino de fibra de vidro número 1 (White Post DC/FGM), cimentado adesivamente com o cimento resinoso Allcem (FGM).

Cimento resinoso corpo duplo (Allcem, FGM, Brasil)
Cimento resinoso corpo duplo (Allcem, FGM, Brasil)
Retentor de fibra de vidro (White Post DC1, FGM)
Retentor de fibra de vidro (White Post DC1, FGM)

O acesso foi restaurado com a resina composta Opalis (FGM), cor A2. Após uma semana, a paciente retornou para acabamento e polimento da restauração, recebendo alta provisória e devendo retornar semestralmente para acompanhamento.

Aspecto final do sorriso
Aspecto final do sorriso

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

A associação de técnicas para clareamento de um elemento dental demonstrou ser uma alternativa conservadora e efetiva.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

American Dental Association. ADA statement on the safety and effectiveness of tooth whitening products. Disponível em: <http://www.ada.org/prof/resources/positions/statements/whiten2.asp>. Acesso em: 11 out. 2009.
Baratieri, L.N. et al. Odontologia restauradora: fundamentos e possibilidades. 1. ed. São Paulo: Quintessence, 2002.
Branco, E.P.; Wetter, n.U.; Pelino, J.E. Estudo in vivo sobre a influência das diferentes técnicas de clareamento na cor dental. Clínica – Int J Braz Dent. v.4, n.3, p.300-306, 2008.
Carrasco, L.D., Guerisoli, D.M.Z., Rocha, M.J.A., Pecora, J.D., Fröner, I.C. Efficacy of intracoronal bleaching techniques with different light activation sources. Int Endodo J. v.40, p.204–208, 2007.
Mondelli, J. Estética e cosmética em clínica integrada restauradora. 1. ed. São Paulo: Quintessence, 2003.

Resumo

Treinamento online e gratuito

Posts mais recentes

Email
LinkedIn
Telegram
Facebook
Treinamento online e gratuito

Outros artigos do blog

plugins premium WordPress

Selecione seu idioma

Select your language