Pesquisa mostra relação entre má saúde bucal e diabetes infantil.


Embora já exista uma consciência sobre a ligação entre má saúde oral e diabetes ou prediabetes em adultos, nenhuma investigação tem sido realizada sobre a saúde bucal de crianças com obesidade ou diabetes. Pela primeira vez, um estudo mostra que as crianças obesas com diabetes tipo 2 são mais propensas a ter má saúde bucal em comparação com as crianças de peso normal e crianças obesas sem a doença.

O estudo

No estudo realizado pela Univerisade de Buffalo (EUA), foram incluídas 19 crianças saudáveis, 14 obesas e 16 obesas portadoras de diabetes tipo 2 com idades entre 10 e 19 anos. Cada participante completou uma pesquisa de saúde bucal, foi submetido a um exame clínico oral e forneceu saliva para a medição de marcadores inflamatórios e análise de microbiome.

Embora as taxas de dentes ausentes, cariados e cheios fossem semelhantes entre os grupos, a gravidade da inflamação gengival (avaliada usando um índice gengival) foi pior no grupo de diabetes tipo 2. Enquanto mais indivíduos do grupo com peso normal e obesos sem diabtes ​​tiveram uma classificação gengival excelente ou boa, nenhum dos participantes do grupo com diabetes teve uma classificação gengival excelente.

Além disso, as crianças com diabetes foram menos propensas à visitas odontológica nos últimos seis meses. “Acontece que enquanto adolescentes obesos com diabetes tipo 2 normalmente têm acesso à saúde dental, muitas vezes através de seguro federal financiado, eles não vão rotineiramente ao dentista”, disse a Dra. Lucy Mastrandrea, professor associado do Departamento de Pediatria da Universidade de Buffalo, onde o estudo foi realizado.

Qual a importância da pesquisa?

“O achado mais importante desta pesquisa é que, como os adultos, as crianças com diabetes tipo 2 parecem mais vulneráveis ​​à inflamação periodontal do que as crianças normais ou obesas sem diabetes”, disse o co-autor Frank A. Scannapieco do Departamento de Biologia Oral . “Ele fornece uma justificativa para a necessidade de atenção adicional para a higiene bucal em crianças com diabetes tipo 2.”

Mastrandrea está agora interessado em explorar se melhores cuidados dentários logo após o diagnóstico podem ajudar a mitigar a tendência para mais doença periodontal em crianças com diabetes tipo 2 em um estudo longitudinal. Ela também está interessada em saber se a mesma tendência é verdadeira para crianças com diabetes tipo 1.

O estudo, intitulado “Salivary inflammatory markers and microbiome in normoglycemic lean and obese children compared to obese children with type 2 diabetes”, foi publicado on-line em 2 de março na revista PLOS ONE.

Leia o artigo na íntegra em inglês aqui.

Fonte: Dental Press

Email
LinkedIn
Telegram
Facebook
plugins premium WordPress

Selecione seu idioma

Select your language