Fig 21 Marcações das inclinações e arestas para guiar a etapa de acabamento

Facetas diretas em resina composta: erros e acertos em seleção de cor

Autores: Dra. Gabriela Romanini Basso, Dr. Paulo Gabriel Warmling e Dr. Shizuma Shibata

 

Paciente do sexo feminino, 22 anos.

 

QUEIXA PRINCIPAL

Insatisfação em relação à forma dos dentes ântero-superiores, assimetria entre os centrais e laterais muito curtos em relação aos centrais.

 

AVALIAÇÃO INICIAL

Após anamnese e exame clínico detalhados, observou-se que o elemento 21 apresentava-se levemente menor do que o elemento 11 e os elementos 12 e 22 em discrepância com o tamanho dos centrais.

 

TRATAMENTO EXECUTADO

Após a realização do exame clínico inicial, foi realizado protocolo fotográfico extra e intraoral. As fotografias e os modelos de gesso foram utilizados para o planejamento estético e funcional do caso. Uma vez aprovado o planejamento digital, os modelos foram impressos e foi confeccionada a guia palatina para realização das restaurações.

A seleção de cor foi feita previamente com escala de cor padrão Vita, posteriormente com incrementos de resina sobre a estrutura dental e, com os dentes hidratados, testou-se as resinas selecionadas. Nesse caso, em um primeiro momento colocaram-se incrementos testes da resina Vittra APS DA0 Vittra FGM para a reprodução da camada de dentina e Vittra APS E-Bleach FGM para a reprodução da camada de esmalte, sobre a vestibular dos incisivos centrais sem tratamento adesivo. Entretanto, nesta etapa de seleção de cor, o valor da resina de dentina não ficou equivalente ao valor da estrutura dental, ficando demasiadamente mais “claro” ou com um valor maior que o dente natural, havendo a necessidade de uma nova conferência. Reduziu-se a espessura do incremento teste da resina DA0 e conferiu-se novamente a cor/valor da resina, confirmando então que muitas vezes a espessura das camadas de resina é mais importante no erro ou acerto da restauração, do que a cor propriamente dita.

Fig 1 Fotografias iniciais de rosto
Fig 1 Fotografias iniciais de rosto

 

Fig 2 Fotografia inicial do sorriso
Fig 2 Fotografia inicial do sorriso

 

Fig 3 Fotografia inicial intraoral
Fig 3 Fotografia inicial intraoral

 

Fig 4 Fotografia inicial com fundo escuro
Fig 4 Fotografia inicial com fundo escuro

 

Fig 5 Mock up para aprovação do projeto
Fig 5 Mock up para aprovação do projeto

 

Feita a seleção das massas de resina e espessuras a serem trabalhadas, realizou-se o isolamento modificado, remoção dos resquícios de resina remanescentes dos bráquetes ortodônticos, seguido por uma minuciosa profilaxia. As restaurações foram realizadas de forma aditiva, ou seja, nenhum tipo de preparo foi realizado, somente o jateamento com óxido de alumínio 50µm para remoção do esmalte aprismático, com intuito de otimizar a adesão.

Fig 6 Seleção de cor com a escala
Fig 6 Seleção de cor com a escala

 

Fig 7a Seleção de cor com as massas de resina
Fig 7a Seleção de cor com as massas de resina

 

Fig 7b Seleção de cor com as massas de resina
Fig 7b Seleção de cor com as massas de resina

 

Fig 7c Seleção de cor com as massas de resina
Fig 7c Seleção de cor com as massas de resina

 

Fig 8 Isolamento relativo
Fig 8 Isolamento relativo

 

Fig 9 Tira profilática para interproximas
Fig 9 Tira profilática para interproximais

 

Fig 10 Limpeza com pontas ultrassônicas
Fig 10 Limpeza com pontas ultrassônicas

 

Fig 11 Luz ultravioleta
Fig 11 Luz ultravioleta

 

Fig 12 Guia palatina
Fig 12 Guia palatina

 

O condicionamento ácido total foi realizado com a aplicação do ácido fosfórico 37% (Condac 37 FGM) durante 15 segundos em esmalte, protegendo os dentes adjacentes com fita a base de resina PTFE (politetrafluoretileno não sinterizado), logo após foi realizado o enxágue pelo dobro de tempo com jato de água e seco com jato de ar. O sistema adesivo utilizado foi o Ambar Universal APS FGM e a aplicação foi por meio de um Cavibrush extra fino. Foi aplicada uma fina camada sobre toda superfície condicionada de forma ativa por 10 segundos, e logo um leve jato de ar por aproximadamente 10 segundos, para a evaporação do solvente e realizada uma segunda aplicação, seguido da fotoativação por 10 segundos.

Fig 13 Condicionamento com ácido fosfórico 37% (Condac 37 FGM)
Fig 13 Condicionamento com ácido fosfórico 37% (Condac 37 FGM)

 

Fig 14 Aplicação do adesivo (Ambar APS FGM)
Fig 14 Aplicação do adesivo (Ambar APS FGM)

 

Fig 15 Confecção das conchas palatinas com a resina Vittra APS E-Bleach (FGM)
Fig 15 Confecção das conchas palatinas com a resina Vittra APS E-Bleach (FGM)

 

Na sequência, iniciaram-se as restaurações pelas conchas palatinas com a resina Vittra APS E-Bleach FGM, em seguida, aplicou-se uma camada de resina com opacidade compatível com a dentina para reprodução dos mamelos e mascaramento dos efeitos ópticos pré-existentes, com a resina Vittra APS DA0 FGM reproduzindo os mamelos, respeitando a área de translucidez. Para reprodução do halo incisal, utilizou-se um corante White somente no bordo incisal, e para mimetizar os efeitos naturais de opalescência e contra opalescência, a resina Vittra APS Trans OPL FGM. Como última camada, foi utilizada uma resina de maior translucidez, Vittra APS E-Bleach FGM. Cada incremento de resina com a espessura de 2 mm foi fotoativado por 20 segundos e a fotoativação final por 40 segundos.

 

Fig 16 Confecção dos mamelos com a resina DAO Vittra APS (FGM)
Fig 16 Confecção dos mamelos com a resina DAO Vittra APS (FGM) 

 

Fig 17a Aplicação do corante white para reprodução do halo incisal
Fig 17a Aplicação do corante white para reprodução do halo incisal

 

Fig 17b Aplicação do corante white para reprodução do halo incisal
Fig 17b Aplicação do corante white para reprodução do halo incisal

 

Fig 18 Aplicação do corante white para reprodução do halo incisal
Fig 18 Aplicação do corante white para reprodução do halo incisal

 

Fig 19 Restaurações finalizadas
Fig 19 Restaurações finalizadas

 

Finalizando o processo restaurador e removido o isolamento, iniciou-se a etapa de acabamento inicial, que consistiu em remoção dos excessos grosseiros e ajuste oclusal. Após 48 horas, procedeu-se o acabamento final e polimento, onde foram marcadas as cristas marginais mesiais e distais, delimitando as áreas de reflexão e sombras de luz. As mesmas foram regularizadas com discos de lixa (Diamond Pro FGM), da granulação mais grossa para mais fina. O polimento foi realizado com polidores em formato de espiral em granulação decrescente, a textura dos sulcos foi realizada com uma borracha em formato de cone e finalizado com discos de feltro (Diamond Flex FGM) e pasta de polimento (Diamond Excel FGM). As etapas do polimento foram realizadas com superfície úmida, com pressão leve da mão e rotação abaixo de 10.000 rpm.

Fig 20 Fotografia do sorriso, previamente às etapas de acabamento e polimento
Fig 20 Fotografia do sorriso, previamente às etapas de acabamento e polimento

 

Fig 21 Marcações das inclinações e arestas para guiar a etapa de acabamento
Fig 21 Marcações das inclinações e arestas para guiar a etapa de acabamento

 

Fig 22 Correção das arestas com discos de lixa de maior e menor granulação (Diamond Pro FGM)
Fig 22 Correção das arestas com discos de lixa de maior e menor granulação (Diamond Pro FGM)

 

Fig 23a Polimento com espirais de borracha
Fig 23a Polimento com espirais de borracha

 

Fig 23b Polimento com espirais de borracha
Fig 23b Polimento com espirais de borracha

 

Fig 23c Polimento com espirais de borracha
Fig 23c Polimento com espirais de borracha

 

Fig 23d Polimento com espirais de borracha
Fig 23d Polimento com espirais de borracha

 

Fig 24 Última etapa do polimento com discos de feltro (Diamond Flex FGM) e pasta de polimento (Diamond Excel FGM)
Fig 24 Última etapa do polimento com discos de feltro (Diamond Flex FGM) e pasta de polimento (Diamond Excel FGM)

 

Fig 25a Polimento das faces proximais com tiras de lixa em ordem decrescente de maior para menor granulação
Fig 25a Polimento das faces proximais com tiras de lixa em ordem decrescente de maior para menor granulação

 

Fig 25b Polimento das faces proximais com tiras de lixa em ordem decrescente de maior para menor granulação
Fig 25b Polimento das faces proximais com tiras de lixa em ordem decrescente de maior para menor granulação

 

Fig 25c Polimento das faces proximais com tiras de lixa em ordem decrescente de maior para menor granulação
Fig 25c Polimento das faces proximais com tiras de lixa em ordem decrescente de maior para menor granulação

 

Fig 25d Polimento das faces proximais com tiras de lixa em ordem decrescente de maior para menor granulação
Fig 25d Polimento das faces proximais com tiras de lixa em ordem decrescente de maior para menor granulação

 

Fig 26 Fotografia intraoral final
Fig 26 Fotografia intraoral final

 

Fig 27 Fotografia final da paciente sorrindo
Fig 27 Fotografia final da paciente sorrindo

 

Fig 28 Fotografia final do sorriso
Fig 28 Fotografia final do sorriso

 

Fig 29 Fotografia com fundo escuro
Fig 29 Fotografia com fundo escuro

 

Ao final do tratamento, os dentes apresentavam-se com aspecto de naturalidade, com brilho e lisura compatíveis com o esmalte dental natural, atendendo às expectativas da paciente. Assim foi possível demonstrar a alta capacidade de mimetização das resinas utilizadas no presente caso.

Email
LinkedIn
Telegram
Facebook
plugins premium WordPress

Selecione seu idioma

Select your language