Aumentando a previsibilidade de laminados cerâmicos com o uso de cimento resinoso com sistema avançado de polimerização (APS)

Carlos Eduardo Francci, Alexander Cassandri Nishida, Ezequias Costa Rodrigues Júnior, Camila Rivoli Kiyohara, Pedro Paulo Albuquerque Cavalcanti de Albuquerque, Guilherme de Siqueira Ferreira Anzaloni Saavedra

SEXO E IDADE DO(A) PACIENTE

Masculino, 32 anos de idade.

QUEIXA PRINCIPAL

Insatisfação com seu sorriso em função de vários espaços interdentais na bateria anterior superior.

AVALIAÇÃO CLÍNICA/RADIOGRÁFICA INICIAL

Observou-se a presença de diastemas na região de incisivos centrais, laterais e caninos superiores.

TRATAMENTO EXECUTADO

Devido à busca por solução imediata do caso por parte do paciente e pela boa condição de higiene oral, optou-se pela harmonização do sorriso com laminados cerâmicos: quatro laminados (12 a 22) e dois fragmentos cerâmicos (13 e 23).

“A existência de um material de excelência como o AllCEM Veneer APS permite uma segurança sobre a escolha de cor, não somente pela utilização de um sistema adesivo sem o amarelado natural causado pela presença da canforoquinona, mas também pela fidelidade de cor representada pelos novos iniciadores de fotopolimerização APS. Toda essa tecnologia permite ao clínico uma fidelidade entre os resultados de cor experimentados pelo try-in e a cimentação final e uma satisfação maior do paciente em relação ao tratamento executado”.

Galeria

1a a 1c. Condição inicial do caso após raspagem supragengival e profilaxia.

1a a 1c. Condição inicial do caso após raspagem supragengival e profilaxia.

1a a 1c. Condição inicial do caso após raspagem supragengival e profilaxia.

1a a 1c. Condição inicial do caso após raspagem supragengival e profilaxia.

2a e 2b. Tomada de cor.

2a e 2b. Tomada de cor.

2a e 2b. Tomada de cor.

3a e 3b. Instalação do mock up com resina bisacrílica conforme enceramento feito em modelo. Esta etapa permite que o paciente visualize previamente o resultado estético final, com possibilidade de pequenos ajustes e correções. Com a aprovação da nova estética do sorriso pelo profissional e paciente, inicia-se a fase de preparo dos dentes.

3a e 3b. Instalação do mock up com resina bisacrílica conforme enceramento feito em modelo. Esta etapa permite que o paciente visualize previamente o resultado estético final, com possibilidade de pequenos ajustes e correções. Com a aprovação da nova estética do sorriso pelo profissional e paciente, inicia-se a fase de preparo dos dentes.

3a e 3b. Instalação do mock up com resina bisacrílica conforme enceramento feito em modelo. Esta etapa permite que o paciente visualize previamente o resultado estético final, com possibilidade de pequenos ajustes e correções. Com a aprovação da nova estética do sorriso pelo profissional e paciente, inicia-se a fase de preparo dos dentes.

4a e 4b. Guia de preparo dental em silicone criada sobre o modelo encerado e adaptada nos dentes já preparados, evidenciando a quantidade de desgaste obtida. Neste caso optou-se pela técnica modified prepless (“sem preparo” modificada)1, onde se faz um preparo cervical de aproximadamente 0,2 mm na linha da gengiva com ponta diamantada cilíndrica de ponta arredondada (KG Sorensen) montada em contra-ângulo multiplicador com rotação em torno de 50.000 rpm, permitindo precisão e delicadeza. Nas proximais também foi realizado preparo 0,2 mm com uma ponta diamantada cônica longa. Os preparos foram realizados sobre o mock up em posição com o auxílio de “guias de silicone” que permitiram o desgaste preciso e conservador necessário para a cerâmica. Tais guias de preparo permitem a checagem da espessura desgastada nas diferentes regiões, evitando a remoção desnecessária de estrutura sadia.

4a e 4b. Guia de preparo dental em silicone criada sobre o modelo encerado e adaptada nos dentes já preparados, evidenciando a quantidade de desgaste obtida. Neste caso optou-se pela técnica modified prepless (“sem preparo” modificada)1, onde se faz um preparo cervical de aproximadamente 0,2 mm na linha da gengiva com ponta diamantada cilíndrica de ponta arredondada (KG Sorensen) montada em contra-ângulo multiplicador com rotação em torno de 50.000 rpm, permitindo precisão e delicadeza. Nas proximais também foi realizado preparo 0,2 mm com uma ponta diamantada cônica longa. Os preparos foram realizados sobre o mock up em posição com o auxílio de “guias de silicone” que permitiram o desgaste preciso e conservador necessário para a cerâmica. Tais guias de preparo permitem a checagem da espessura desgastada nas diferentes regiões, evitando a remoção desnecessária de estrutura sadia.

4a e 4b. Guia de preparo dental em silicone criada sobre o modelo encerado e adaptada nos dentes já preparados, evidenciando a quantidade de desgaste obtida. Neste caso optou-se pela técnica modified prepless (“sem preparo” modificada)1, onde se faz um preparo cervical de aproximadamente 0,2 mm na linha da gengiva com ponta diamantada cilíndrica de ponta arredondada (KG Sorensen) montada em contra-ângulo multiplicador com rotação em torno de 50.000 rpm, permitindo precisão e delicadeza. Nas proximais também foi realizado preparo 0,2 mm com uma ponta diamantada cônica longa. Os preparos foram realizados sobre o mock up em posição com o auxílio de “guias de silicone” que permitiram o desgaste preciso e conservador necessário para a cerâmica. Tais guias de preparo permitem a checagem da espessura desgastada nas diferentes regiões, evitando a remoção desnecessária de estrutura sadia.

5a a 5c. Inserção do fio afastador de forma contínua e molde obtido em silicone de adição (técnica da dupla moldagem), com a cópia fiel dos términos cervicais dos preparos.

5a a 5c. Inserção do fio afastador de forma contínua e molde obtido em silicone de adição (técnica da dupla moldagem), com a cópia fiel dos términos cervicais dos preparos.

5a a 5c. Inserção do fio afastador de forma contínua e molde obtido em silicone de adição (técnica da dupla moldagem), com a cópia fiel dos términos cervicais dos preparos.

5a a 5c. Inserção do fio afastador de forma contínua e molde obtido em silicone de adição (técnica da dupla moldagem), com a cópia fiel dos términos cervicais dos preparos.

6a e 6b. Lentes de contato e fragmentos cerâmicos sobre o modelo de gesso, em vista vestibular e palatina.

6a e 6b. Lentes de contato e fragmentos cerâmicos sobre o modelo de gesso, em vista vestibular e palatina.

6a e 6b. Lentes de contato e fragmentos cerâmicos sobre o modelo de gesso, em vista vestibular e palatina.

7. Profilaxia dental para promover substrato adequado para o procedimento adesivo.

7. Profilaxia dental para promover substrato adequado para o procedimento adesivo.

8. Prova a seco das peças para checagem da adaptação.

8. Prova a seco das peças para checagem da adaptação.

9. Sistema ALLCEM VENEER APS com cimentos e pastas try-in e o adesivo AMBAR APS

9. Sistema ALLCEM VENEER APS com cimentos e pastas try-in e o adesivo AMBAR APS

10. Teste com pastas try-in de diferentes cores: OW (branco opaco) no dente 11 e A3 no dente 21. É evidente a influência da cor do cimento no resultado estético final do dente, por isso o profissional deverá ter à disposição uma gama adequada de cores para escolher. No caso, após consentimento do paciente, foi escolhida a cor TRANS (translúcida) para cimentação.

10. Teste com pastas try-in de diferentes cores: OW (branco opaco) no dente 11 e A3 no dente 21. É evidente a influência da cor do cimento no resultado estético final do dente, por isso o profissional deverá ter à disposição uma gama adequada de cores para escolher. No caso, após consentimento do paciente, foi escolhida a cor TRANS (translúcida) para cimentação.

11a e 11b. Condicionamento das peças com ácido hidrofluorídrico 10% (Condac Porcelana) por 20 segundos. Poderia também ser condicionado com o Condac Porcelana 5%2. Após cuidadosa lavagem com água, aplicação de ácido fosfórico 37% (Condac37) por 30 segundos para remoção dos depósitos de sílica criados durante o condicionamento, secagem e aplicação do silano (Prosil) por 60 segundos, aguarda-se 1 minutos para evaporação do solvente.

11a e 11b. Condicionamento das peças com ácido hidrofluorídrico 10% (Condac Porcelana) por 20 segundos. Poderia também ser condicionado com o Condac Porcelana 5%2. Após cuidadosa lavagem com água, aplicação de ácido fosfórico 37% (Condac37) por 30 segundos para remoção dos depósitos de sílica criados durante o condicionamento, secagem e aplicação do silano (Prosil) por 60 segundos, aguarda-se 1 minutos para evaporação do solvente.

11a e 11b. Condicionamento das peças com ácido hidrofluorídrico 10% (Condac Porcelana) por 20 segundos. Poderia também ser condicionado com o Condac Porcelana 5%2. Após cuidadosa lavagem com água, aplicação de ácido fosfórico 37% (Condac37) por 30 segundos para remoção dos depósitos de sílica criados durante o condicionamento, secagem e aplicação do silano (Prosil) por 60 segundos, aguarda-se 1 minutos para evaporação do solvente.

12a e 12b. Na etapa da cimentação, os dentes recebem fio afastador contínuo para expor devidamente os términos cervicais, controlar a umidade proveniente do sulco gengival e facilitar a remoção de excessos de cimento dentro do sulco gengival após polimerização3.

12a e 12b. Na etapa da cimentação, os dentes recebem fio afastador contínuo para expor devidamente os términos cervicais, controlar a umidade proveniente do sulco gengival e facilitar a remoção de excessos de cimento dentro do sulco gengival após polimerização3.

12a e 12b. Na etapa da cimentação, os dentes recebem fio afastador contínuo para expor devidamente os términos cervicais, controlar a umidade proveniente do sulco gengival e facilitar a remoção de excessos de cimento dentro do sulco gengival após polimerização3.

13a a 13c. Preparos dentais sendo condicionados com ácido fosfórico a 37% (Condac 37) durante 15 segundos. Após lavagem por 30 segundos e secagem, observa-se um aspecto opaco e fosco do esmalte.

13a a 13c. Preparos dentais sendo condicionados com ácido fosfórico a 37% (Condac 37) durante 15 segundos. Após lavagem por 30 segundos e secagem, observa-se um aspecto opaco e fosco do esmalte.

13a a 13c. Preparos dentais sendo condicionados com ácido fosfórico a 37% (Condac 37) durante 15 segundos. Após lavagem por 30 segundos e secagem, observa-se um aspecto opaco e fosco do esmalte.

13a a 13c. Preparos dentais sendo condicionados com ácido fosfórico a 37% (Condac 37) durante 15 segundos. Após lavagem por 30 segundos e secagem, observa-se um aspecto opaco e fosco do esmalte.

14a e 14b. Aplicação do adesivo dental (Ambar APS), de aspecto praticamente incolor que não interfere na cor final do trabalho.

14a e 14b. Aplicação do adesivo dental (Ambar APS), de aspecto praticamente incolor que não interfere na cor final do trabalho.

14a e 14b. Aplicação do adesivo dental (Ambar APS), de aspecto praticamente incolor que não interfere na cor final do trabalho.

15a a 15d. Aplicação do cimento resinoso (Allcem Veneer APS) na superfície interna das peças e assentamento cuidadoso destas sobre os preparos. O cimento extravasa por todas as margens, indicando adequado preenchimento da interface dente-restauração. Nos caninos, onde foram cimentados fragmentos cerâmicos, na face vestibular foi criada uma “zona de continuidade adesiva”4 com o próprio cimento resinoso, de forma a mascarar a linha de união entre a cerâmica e o esmalte dental. O excesso de cimento é removido com microaplicador descartável (Cavibrush) nas faces vestibulares e com fio dental nas interfaces proximais, sempre em direção à superfície palatina.

15a a 15d. Aplicação do cimento resinoso (Allcem Veneer APS) na superfície interna das peças e assentamento cuidadoso destas sobre os preparos. O cimento extravasa por todas as margens, indicando adequado preenchimento da interface dente-restauração. Nos caninos, onde foram cimentados fragmentos cerâmicos, na face vestibular foi criada uma “zona de continuidade adesiva”4 com o próprio cimento resinoso, de forma a mascarar a linha de união entre a cerâmica e o esmalte dental. O excesso de cimento é removido com microaplicador descartável (Cavibrush) nas faces vestibulares e com fio dental nas interfaces proximais, sempre em direção à superfície palatina.

15a a 15d. Aplicação do cimento resinoso (Allcem Veneer APS) na superfície interna das peças e assentamento cuidadoso destas sobre os preparos. O cimento extravasa por todas as margens, indicando adequado preenchimento da interface dente-restauração. Nos caninos, onde foram cimentados fragmentos cerâmicos, na face vestibular foi criada uma “zona de continuidade adesiva”4 com o próprio cimento resinoso, de forma a mascarar a linha de união entre a cerâmica e o esmalte dental. O excesso de cimento é removido com microaplicador descartável (Cavibrush) nas faces vestibulares e com fio dental nas interfaces proximais, sempre em direção à superfície palatina.

15a a 15d. Aplicação do cimento resinoso (Allcem Veneer APS) na superfície interna das peças e assentamento cuidadoso destas sobre os preparos. O cimento extravasa por todas as margens, indicando adequado preenchimento da interface dente-restauração. Nos caninos, onde foram cimentados fragmentos cerâmicos, na face vestibular foi criada uma “zona de continuidade adesiva”4 com o próprio cimento resinoso, de forma a mascarar a linha de união entre a cerâmica e o esmalte dental. O excesso de cimento é removido com microaplicador descartável (Cavibrush) nas faces vestibulares e com fio dental nas interfaces proximais, sempre em direção à superfície palatina.

15a a 15d. Aplicação do cimento resinoso (Allcem Veneer APS) na superfície interna das peças e assentamento cuidadoso destas sobre os preparos. O cimento extravasa por todas as margens, indicando adequado preenchimento da interface dente-restauração. Nos caninos, onde foram cimentados fragmentos cerâmicos, na face vestibular foi criada uma “zona de continuidade adesiva”4 com o próprio cimento resinoso, de forma a mascarar a linha de união entre a cerâmica e o esmalte dental. O excesso de cimento é removido com microaplicador descartável (Cavibrush) nas faces vestibulares e com fio dental nas interfaces proximais, sempre em direção à superfície palatina.

16. Fotopolimerização por 40s (com potência de 1.000 mW/cm2).

16. Fotopolimerização por 40s (com potência de 1.000 mW/cm2).

17. Remoção dos excessos de cimento polimerizados com lâmina de bisturi no 15

17. Remoção dos excessos de cimento polimerizados com lâmina de bisturi no 15

18. Remoção do fio afastador gengival iniciando pelas alças palatinas, uma vez que o fio fora instalado de forma contínua.

18. Remoção do fio afastador gengival iniciando pelas alças palatinas, uma vez que o fio fora instalado de forma contínua.

19a e 19b. Aspecto final do caso clínico imediatamente após cimentação.

19a e 19b. Aspecto final do caso clínico imediatamente após cimentação.

19a e 19b. Aspecto final do caso clínico imediatamente após cimentação.

BIBLIOGRAFIA

  1. Saavedra GSFA, Hiquieri H, Nishida AC, Luz JN, Francci CE. Harmonização do sorriso: do planejamento digital à cimentação de laminados com preparo dental – parte 2. Int J Esthet Dent. 2016;1:522-40
  2. Venturini AB, Prochnow C, Rambo D, Gundel A, Valandro LF. Effect of Hydrofluoric Acid Concentration on Resin Adhesion to a Feldspathic Ceramic. J Adhes Dent. 2015;17(4):313-20
  3. Pagani C, Kamozaki MBB, Francci CE, Riquieri H, Saavedra GSFA. Gingival retraction: techiniques and materials. Prótese News Integração Clínico-Laboratorial. 2015;2:328-42
  4. De Andrade OS, Borges GA, Kyrillos M, Moreira M, Calicchio L, Correr-Sobrinho L. The Area of Adhesive Continuity: A New Concept for Bonded Ceramic Restorations Quintessence of Dental Technology (QDT). 2013;36(9):9-26
Email
LinkedIn
Telegram
Facebook
plugins premium WordPress

Selecione seu idioma

Select your language