A Eficácia da técnica de clareamento dental em dente desvitalizado e escurecido

Autor: Fabiano Araujo (Doutor, Mestre e Especialista em Dentística (UFSC) Coordenador dos Cursos de Odontologia Estética da ABO_SJP Professor Titular de Dentística e Clínica Integrada – Universidade Tuiuti do Paraná, Brasil Professor do Aperfeiçoamento Integrado de Prótese/Dentística da UTP Professor do Aperfeiçoamento em Dentística e Estética da ABO_SJP Consultor Científico da Revista Clínica – International Journal of Brazilian Dentistry)

 

RELATO DE CASO

A despeito da grande evolução da terapia endodôntica, ainda atualmente, nos deparamos com a difícil tarefa de tratarmos dentes adequadamente com endodontia e que escureceram. Mesmo estando saudável, um dente escuro e visível ao sorrir, pode afetar o bem-estar do indivíduo. O presente relato é de uma paciente do gênero feminino que se apresentou com leve grau de escurecimento do dente 11. O tratamento de escolha foi clareamento dentário interno com perborato de sódio, buscando um resultado estético sem danos aos tecidos periodontais. Realizou-se a anamnese e exame radiográfico para verificação da qualidade do tratamento endodôntico. Após o isolamento absoluto do dente 11, removeu-se 3mm do material obturador da entrada do conduto, adequou-se o terço cervical do conduto com fosfato de zinco e em seguida foi realizado o selamento com cimento de ionômero de vidro para evitar a reabsorção dentinária. A câmara pulpar foi preenchida com a pasta de Whiteness Perborato – FGM misturando 2 porções rasas de perborato de sódio com 1 gota de solução de peróxido de hidrogênio 20%. A seguir, posicionou-se uma bolinha de algodão e realizou-se o selamento da cavidade com material restaurador. Para chegar ao resultado desejado, foram realizadas três sessões, com trocas do material clareador semanalmente durante 21 dias. A restauração foi realizada com resina composta.

01 - Aspecto clínico inicial
01 – Aspecto clínico inicial
02 - Remoção de 3 mm do material obturador da entrada do conduto
02 – Remoção de 3 mm do material obturador da entrada do conduto
03 - Adequação do terço cervical do conduto com fosfato de zinco.
03 – Adequação do terço cervical do conduto com fosfato de zinco.
04 - Selamento do conduto com cimento de ionômero de vidro para evitar a reabsorção dentinária
04 – Selamento do conduto com cimento de ionômero de vidro para evitar a reabsorção dentinária
05 - Selamento 2 mm abaixo da margem cervical
05 – Selamento 2 mm abaixo da margem cervical
06 - Preenchimento da câmara pulpar com a pasta de Whiteness Perborato – FGM
06 – Preenchimento da câmara pulpar com a pasta de Whiteness Perborato – FGM
07 - A seguir, posicionou-se uma bolinha de algodão e realizou-se o selamento da cavidade com material restaurador
07 – A seguir, posicionou-se uma bolinha de algodão e realizou-se o selamento da cavidade com material restaurador
08 - Após os procedimentos de clareamento, a câmara pulpar foi condicionada com ácido fosfórico 37%
08 – Após os procedimentos de clareamento, a câmara pulpar foi condicionada com ácido fosfórico 37%
09 - A câmara pulpar foi lavada abundantemente.
09 – A câmara pulpar foi lavada abundantemente.
10 - Aplicação do sistema adesivo
10 – Aplicação do sistema adesivo
11 - Fotoativação do sistema adesivo por 20 segundos
11 – Fotoativação do sistema adesivo por 20 segundos
12 - Fotoativação do sistema adesivo por 20 segundos
12 – Fotoativação do sistema adesivo por 20 segundos
13 - Resultado final após 3 sessões de clareamento interno com trocas semanais do produto.
13 – Resultado final após 3 sessões de clareamento interno com trocas semanais do produto.

 

Resumo

Treinamento online e gratuito

Posts mais recentes

Email
LinkedIn
Telegram
Facebook
Treinamento online e gratuito

Outros artigos do blog

plugins premium WordPress

Selecione seu idioma

Select your language