Calendar icon

10/09/2020

A importância da correta aplicação dos adesivos

Capa Blog

Autores:Dra. Andréia Luiza Gabriel Dr. Rodrigo Reis

Os sistemas adesivos revolucionaram a odontologia estética, proporcionando ao cirurgião-dentista a possibilidade de oferecer restaurações com melhor qualidade estética com maior preservação de estrutura dentária sadia. A eficácia de um sistema adesivo dentinário está diretamente relacionada à sua maior ou menor sensibilidade à técnica (efeito operador) e às variações estruturais e biológicas do substrato nas diferentes atuações clínicas.

Contrariamente ao esmalte, toda superfície de dentina deve ser considerada como um substrato adesivo diferente. A adesão e o selamento da superfície dentinária são alcançados pela formação de uma camada híbrida homogênea (adesão por difusão, aonde um substrato penetra ou se difunde no outro formando uma zona híbrida compreendendo uma mistura dos dois: zona ou camada de inter-difusão dentina/resina), contínua e uniforme. A qualidade desse selamento não está relacionada à espessura da camada híbrida e sim, diretamente relacionado, à eficiência de penetração do monômero nos espaços interfibrilares, ao completo envolvimento das fibrilas de colágeno expostas pelo condicionamento ácido (camada mista ou híbrida composta de colágeno ou fase orgânica da dentina interpenetrado pelo sistema adesivo e fase inorgânica da dentina) e ao grau de conversão do adesivo. Secundariamente temos a penetração do sistema adesivo nos túbulos dentinários abertos pelo condicionamento ácido (retenção micromecânica). Uma vez que a dentina é uma estrutura repleta de água, é preciso encontrar meios de compatibilizar as formulações adesivas (que são hidrofóbicas) com essa estrutura. Os solventes facilitam a penetração dos monômeros por entre os espaços interfibrilares e melhoram a sua compatibilidade com a umidade da estrutura dental, além de diminuírem a viscosidade do adesivo.

Após a aplicação do adesivo, a volatilização dos solvente com leves jatos de ar, é uma etapa de fundamental importância porque sua permanência inibe a polimerização da película adesiva, prejudicando assim sua resistência mecânica. Se o sistema adesivo for aplicado e prontamente fotoativado, sem aguardar um tempo suficiente para a correta evaporação do solvente, o mesmo não irá polimerizar adequadamente, podendo trazer consequências negativas que comprometem a união, com efeitos na resistência adesiva e selamento, sensibilidade pós operatória e degradação precoce da interface adesiva. A aplicação de forma ativa dos adesivos na estrutura dentária contribui para a evaporação do solvente e também uma melhor penetração dos monômeros . O colágeno presente na dentina funciona como uma esponja e a agitação do adesivo faz com que ele penetre mais profundamente aumentando a longevidade da interface adesiva.

A finalidade da aplicação de mais de uma camada do adesivo é aumentar a resistência de união imediata. Quando duas camadas de adesivo são aplicadas, o solvente evapora entre cada camada, fazendo com que a concentração de monômeros aumente após cada aplicação, facilitando assim a infiltração com mínimo aumento de espessura da camada adesiva.

Há aumento na capacidade de penetração na dentina desmineralizada, seja pelo aumento de monômeros disponíveis para a infiltração, seja pelo aumento do tempo de aplicação, já que isto irá significar também mais tempo para a evaporação de solventes.

Mais recentemente surgiram os sistemas adesivos universais que especialmente em dentina dispensam o condicionamento ácido e reduzem riscos de do “efeito operador” em termos de variação do efeito de condicionamento ácido nos diferentes tipos de dentina (jovem, esclerótica, decídua, permanente, rasa, média ou profunda), dos métodos de lavagem e secagem (não devemos deixar umidade em excesso ou desidratar a dentina) cujos critérios clínicos são variáveis. Com isso, variações nessas etapas críticas são eliminadas quando do emprego destes sistemas adesivos.

Devido à importância dos procedimentos adesivos no dia-a-dia da prática odontológica, o cirurgião-dentista deve ter em mente que a união adesiva só será confiável quando executada sob rigoroso controle e um protocolo bem definido. Dessa maneira, o conhecimento do comportamento do substrato, da técnica e do sistema empregado são fundamentais para garantir o sucesso e a durabilidade dos tratamentos restauradores.

Referências bibliográficas

  1. Oliveira NA De, Diniz LSM, Svizero N da R, D’Alpino PHP, Pegoraro CACC. Sistemas adesivos: Conceitos atuais e aplicações clínicas. Rev Dentística Line 2010;9:1–9
  2. Tay FR, Pashley DH. Dental adhesives of the future. J Adhes Dent. 2002; 4(2): 91-103.
  3. Carvalho CN, Lanza MDS, Dourado LG, Carvalho EM, Bauer J. Impact of Solvent Evaporation and Curing Protocol on Degree of Conversion of Etch-and-Rinse and Multimode Adhesives Systems. Int J Dent. 2019;2019:5496784. Published 2019 Apr 11. doi:10.1155/2019/5496784