Como escolher as resinas para ter em seu consultório?

Capa 1 1208x423

Se você está lendo este artigo, provavelmente investirá no estoque de um consultório ou clínica, para isso, utilizar os recursos de maneira inteligente e rentável é de suma importância. Dentistas recém-formados que realizarão sua primeira grande compra, podem não ter conhecimento suficiente em compra de materiais e pecar por falta ou excesso de opções. O acúmulo de materiais gera gastos excessivos e estoque exagerado, fazendo com que se tenha altos índices de perda pela expiração da validade.

Na prática diária de um clínico geral, restaurações são procedimentos rotineiros, por isso, as cores de resinas que contemplem a maioria dos casos, precisam estar sempre à mão. A compra de compósitos por seringa, é interessante para repor material, mas na primeira compra é mais vantajosa a compra de kits, que oferecem descontos nos produtos e normalmente estão associados a algum brinde que completará seu estoque, como adesivos, ácidos e etc. Também pensando em rentabilidade, compósitos de cores especiais do tipo “efeito”, podem ser comprados em embalagens menores, de 2g, já que não são utilizados tão frequentemente, ótimo para evitar desperdícios.

1 Foto Resinas

Especialistas em dentística, ou dentistas que se propõem a entregar resultados de alta estética precisam de um bom arsenal de resinas, podemos começar com os materiais citados a seguir:

Dentes posteriores (molares e pré-molares)

São caracterizados por sulcos e fissuras destacados, com espessa camada de esmalte recobrindo essas regiões. A reprodução dessas características de maneira eficiente, é, sem dúvida, mais importante do que a escolha de cor do material, pois a reflexão de luz semelhante à do dente natural, resultará na estética desejada.

2 Foto Opus

Cavidades oclusais em dentes posteriores, recebem muito bem resinas do tipo Bulk Fill, muito utilizadas no cenário internacional, mas que ainda sofrem pré-julgamento de dentistas brasileiros. Compósitos de incremento único (Bulk Fill), como a Opus, têm resistência, estética e podem ser utilizados como único material da cavidade ou com recobrimento. Os incrementos dessa resina podem ter até 5mm. Perceba o quanto isso aceleraria seu trabalho e otimizaria seu tempo. Opus Bulk Fill é apresentada em 3 cores: A1, A2 e A3. A cor A2 se adaptará à maioria dos casos. Se você não for fã da técnica bulk fill, pode lançar mão de 2 cores de compósito resinosos para começar: DA3 para reprodução da dentina e um compósito translúcido para reprodução do esmalte. Com boa escultura e polimento (em dente sem alterações de cor exacerbadas), terá boa reflexão de luz e estética.

Faces Proximais Posteriores

Compósitos de baixa viscosidade, do tipo Flow, se adaptam a essas cavidades de maneira eficiente, facilitando a prática clínica. Porém não possuem carga suficiente (resistência) para a caixa oclusal, que precisa ser recoberta caso haja comprometimento. A cor A3 é mais indicada para essas regiões, o compósito flow pode ser do tipo bulk fill ou do tipo convencional.

3 Foto Opus Flow

A cor de faces vestibulares de dentes posteriores, pode variar por muitos motivos: sua formação, se o dente sofreu abrasão por escovação com força excessiva, se apresenta lesões cervicais, se passou por procedimento clareador, entre outros. Para essa face serão necessárias ter em mãos resinas de esmalte nas cores: A1, A2 e A3. Para dentes clareados tenha ao menos um compósito com cor denominada “bleach”, mais clara que as cores comuns.

Restaurações em dentes anteriores

São mais desafiadoras, halo radiopaco, mamelos e opalescência, são características marcantes de dentes jovens, e devem ser reproduzidas. Para uma correta estratificação, é necessário o procedimento de escolha de cor, que pode ser feito através do posicionamento de incrementos teste.

4 Foto Boca

Caso utilize a resina composta submicrométrica Vittra APS, não é necessário fotopolimerizar para escolha de cor, outros compósitos que não utilizam a tecnologia APS precisam ser fotopolimerizados, pois mudam de cor após a fotopolimerização.  A FGM dispõe de um kit de Vittra APS, um compósito com carga esferoidal, submicrométrica (0,2 mícrons) que promove alto polimento e brilho, com as cores mais utilizadas em restaurações: DA1, DA2, DA3, EA1, EA2, Trans N, com essas cores é possível reproduzir halo radiopaco, opalescência e mamelos alcançando um resultado com alta estética.

Outra opção com custo benefício interessante, é a resina composta Opallis (0,5 mícrons), que tem uma ampla gama de cores.

É importante destacar:
Casos de alta estética em restaurações diretas, devem ser planejados individualmente, segundo análise de cor.

Email
LinkedIn
Telegram
Facebook
plugins premium WordPress

Selecione seu idioma

Select your language